mamografia
 

O QUE CAUSA DOR NAS MAMAS?

 

Muitas mulheres sofrem de dores nas mamas (mastalgia) e têm medo que a causa seja câncer. A maioria das vezes, infelizmente, o câncer de mama não dói, o que poderia ser um alerta. Então, de onde vem a dor?

 

Geralmente, a “dor na mama” é oriunda de outras estruturas próximas que irradiam a dor e confundem a sua localização exata. Esses quadros de dor, em geral, não são cíclicos.

 

Já a verdadeira dor mamária é cíclica e surge com a proximidade do ciclo menstrual.

 

 

 


DORES NÃO-CÍCLICAS

 

As dores não-cíclicas podem ser decorrentes de:

 

dores musculares (especialmente do músculo peitoral – após esforço físico ou atividade física, tipo musculação);

 

neurite intercostal (inflamação dos nervos intercostais, que ficam entre as costelas);

 

osteocondrite das cartilagens do esterno e ou das costelas (pontos dolorosos no meio do tórax e entre as mamas);

 

irradiação de algum problema primário da coluna (especialmente coluna cervical e torácica).

 

 

Seu tratamento irá depender da causa: algumas vezes o uso de anti-inflamatórios e/ou vitaminas do complexo B podem auxiliar. Também a acupuntura e exercícios de alongamento têm sido de grande auxílio no tratamento de dores crônicas. No entanto, se a causa principal não for adequadamente diagnosticada e tratada a dor irá persistir.

 

 

 

DORES CÍCLICAS

 

É a verdadeira dor mamária. A maioria das mulheres experimenta algum grau de dor nas mamas quando o período menstrual se aproxima. Algumas podem apresentar dor e sensibilidade por até 2 semanas antes da chegada da menstruação. Quando existe uma grande retenção de líquidos (ganho de peso maior que 1,5 a 2 Kg ) pode ser necessário o uso de diuréticos leves e orientação dietética com restrição de sódio (ver adiante). Ainda, algumas mulheres apresentam melhora após uso de óleo de prímula, embora estudos científicos controlados não apontem sua eficiência.

 

 

NÓDULOS BENIGNOS

 

Muitas mulheres, principalmente as mais jovens, apresentam uma sensação de irregularidade generalizada na palpação das mamas. Na verdade, a composição da glândula é responsável por essa sensação: a árvore glandular (ductos e alvéolos) está mergulhada em um tecido denso (que vai se tornando gorduroso e, portanto, mais frouxo com o passar dos anos).


O tecido glandular sofre alterações durante o ciclo menstrual (a mama também têm um ciclo) e a sensação de “nódulos” piora com a proximidade da menstruação. Os “nódulos mamários” mais comuns pertencem a um grupo de condições inofensivas, que são apenas uma variação do normal.

 

Ao lado, temos o desenho esquemático de uma mama: a árvore glandular (que sofre influências hormonais cíclicas) fica imersa em tecido adiposo e fibroso. Para ver a figura detalhadamente, clique aqui.


 

 

FIBROADENOMAS

 

Existem nódulos benignos “verdadeiros”. Os nódulos sólidos (com consistência de cartilagem) são chamados fibroadenomas. São mais comuns em adolescentes na faixa dos 20 anos. São como lóbulos mamários que se desenvolveram em demasia. Podem ser do tamanho de uma ervilha até de um limão, mas a maioria não atinge 2 cm (tem crescimento auto-limitado) e não se transformam em câncer.

 

 

CISTOS

 

São pequenas bolhas de fluido, provavelmente causado pelo bloqueio das glândulas à medida que se modificam ao longo da vida. Então, cistos são apenas uma variação da anatomia normal da mama.

 

Podem surgir de repente e são mais comuns em mulheres após os 35 anos. Caso sejam dolorosos, seu médico fará uma punção para confirmar o diagnóstico e aliviar o desconforto. A aspiração é um procedimento simples e tudo que se sente é a picada da agulha. À medida que o fluido é puxado, o cisto encolhe e desaparece.

 

 

ECTASIA DOS DUCTOS

 

Alterações nos mamilos são menos freqüentes, mas também podem causar preocupação nas mulheres. O encolhimento (involução) normal dos ductos lactíferos das mulheres após os 40 anos pode causar alguma alteração, por exemplo, uma dilatação (ectasia ductal).

 

Essa dilatação pode não causar nenhum sintoma. Mas pode levar a saída de secreção ou então a um quadro de inflamação muito doloroso, denominado mastite (quando bactérias entram em contato com o fluido parado).

 

 

SECREÇÃO NOS MAMILOS

 

A maior parte das secreções nos mamilos é de causa benigna e não há necessidade de qualquer tratamento. Geralmente, são fluidos de vários tons de verde ou marrom ou ainda amarelado. Quando o fluido é branco, a semelhança do leite, e sai espontaneamente, outras causas devem ser pesquisadas. Entre elas, as principais são o uso de medicamentos que estimulam a prolactina (fórmulas para emagrecer, fluoxetina, alguns tranqüilizantes).

 

A saída de líquido avermelhado, sugestivo de sangue, deverá ser comunicada ao seu médico ginecologista, pois pode ser indicativo de algum problema.

 

 

ALTERAÇÕES NA PELE

 

Os mamilos podem ficar vermelhos, sofrer descamação e prurido (coceira) e esse quadro é denominado de eczema. Seu tratamento com cremes a base de corticóide promove rápida melhora dos sintomas.

 

Não se deve confundir com a doença de Paget (tipo raro de câncer de mama) parecido com o eczema, porém neste caso não existe prurido (coceira).

 


Concluindo:


De qualquer forma, toda preocupação com alterações no seu corpo é sempre válida!

 

Cuide-se, toque-se, previna-se!

 

Carinhosamente,